24 de março de 2014


RODRIGO FARO POSOU PARA AS LENTES DE MARIE CLAIRE (Foto: FOTOS: DARYAN DORNELLES E GABRIEL RINALDI)

Em tempos nos quais a violência contra a mulher não sai das manchetes, é bom ver um homem se posicionar a favor de todo e qualquer direito feminino. Se ele for uma personalidade pública, pop o suficiente para influenciar o outro, melhor ainda. A pessoa em questão é Rodrigo Faro, um dos convidados para a reportagem "Machismo, não", publicada por Marie Claire na edição deste mês (ainda nas bancas). Para o site ele falou mais, e com exclusividade, sobre a relação que tem com as mulheres de sua vida - Vera Viel, e as filhas Clara, Maria e Helena: "Sou um cara totalmente feminista".

Marie Claire: O fato de ter três filhas e praticamente viver só entre mulheres fez você ficar com um olhar mais feminino, mais feminista, para os acontecimentos à sua volta?
Rodrigo Faro:
Vivo cercado de mulheres por todos os lados. Em casa, tenho a Vera e as meninas. No trabalho, sou dirigido por uma mulher. Fora minha mãe, que é a mulher mais forte que eu já conheci. Perdi meu pai muito cedo, aos 13 anos, não tive referência paterna. O olhar de mundo que tive, os primeiros papos sobre dinheiro, sobre sexo, sobre maneira de levar a vida foram da minha mãe e da minha avó. E quando você aprende a encarar tudo com o olhar feminino, você vê tudo com muito mais cores. O universa masculino é muito simples. É vencer na vida, curtir com os amigos, jogar um futebolzinho, tomar uma cerveja e formar uma família. É isso, você resumiu a vida do homem. A mulher tem milhões de nuances, a ótica feminina do mundo é muito mais poética, muito mais interessante.

MC: Então, podemos dizer que você é feminista?
RF:
Sou um cara totalmente feminista. Sou apaixonado pelas minhas mulheres. Como pai de três, defenderei para sempre a igualdade entre os sexos, para que elas vivam em um mundo melhor e tenham tantas oportunidades quanto os homens.

MC: Como é o pai Rodrigo Faro?
RF:
Sou o pai mais presente e protetor que existe. Converso sobre tudo, não escondo nada das minhas filhas. Tento ser o melhor que eu posso para que elas se tornem adultas legais, bondosas, que tomem suas decisões baseadas no amor. Procuro passar o ideal do amor, para que elas possam compartilhar isso. Faço tudo: brinco de boneca, de casinha, sou cobaia para elas me maquiarem, jogo futebol, escorrego no tobogã, empino pipa, jogo vôlei, nado. Infância não tem sexo, não tem essa de brincadeira de menino e brincadeira de menina.

RODRIGO COM AS FILHAS E A MULHER EM VÁRIOS MOMENTOS COMPARTILHADOS VIA REDE SOCIAL (Foto: REPRODUÇÃO INSTAGRAM )

MC: Sua mulher é muito bonita e vista como ícone de boa forma. Você faz o tipo desencanado ou costuma ficar de olho em tudo que a Vera Viel faz?
RF:
Tenho um ciúme normal, aquele saudável para a relação. A Vera obviamente é daquelas mulheres que chega nos lugares e atrai todos os olhares para ela, então eu não tenho nem como impedir isso. Não sou e nem posso ser um cara possessivo.

MC: Como você e a Vera controlam o que vai para as redes sociais? Vocês são um casal que publica fotos de instagram e sempre mostram a família. Qual é seu limite?
RF:
A Clarinha, minha filha, também tem uma conta no Instagram. Mas elas sabem de tudo, explico que a internet é uma terra de ninguém, cheio de gente boa, mas que tem muita gente ruim também. Tudo o que elas postam eu ou a Vera temos que ver antes. E eu sempre olho quem comenta, quem curte, está passando pelas contas delas. Isso eu mantenho sob muito controle.