1 de dezembro de 2011

Rodrigo Faro passeia pelo Japão em primeira visita ao país

| | Bla bla bla






Na primeira visita ao Japão, Rodrigo Faro (38) conta que, ao chegar, sua primeira impressão foi a de ter feito uma viagem para o futuro. A admiração do carismático ator e apresentador do programa O Melhor do Brasil, da Record, pelo país aumenta quando lembra que, há pouco tempo, em março deste ano, aquela terra foi devastada por terremoto seguido de tsunami e conseguiu dar a volta por cima. "Os japoneses, apesar de toda a dificuldade pela qual passaram, tiveram a capacidade de se reerguer. São disciplinados, educados, sorridentes. E essa mescla de tecnologia e tradição? Mesmo com a extrema modernidade, eles não perdem os valores milenares da sua cultura", enaltece Faro, que, desde novembro, é o embaixador da Sony no Brasil. Em visita ao headquarter da empresa, no bairro de Shinagawa, em Tóquio, ele se surpreendeu ao encontrar exposta uma foto sua com os ex-craques Cafu (41) e Zico (58). Os três se reuniram em julho, no Rio, durante jogo de beach soccer entre Brasil e Japão para arrecadar fundos em prol das crianças japoneses vítimas das catástrofes. "Muito do sucesso que conquistei vem da felicidade pessoal, de ter uma família feliz, estruturada, uma esposa maravilhosa e duas filhas incríveis", emociona-se ao falar da mulher, a apresentadora Vera Viel (36), e das filhas, Clara (6) e Maria (3), ao lado de Ryuji Tsutsui (53), presidente da Sony Brasil, Carlos Paschoal (31) e Kenichi Sugawara, gerente geral de marketing e gerente geral de Brand Management da empresa, e do seu irmão e empresário, Danilo Faro (35). O artista também conheceu um prédio de dez andares que serve de showroom para produtos da marca.

– Quando rever suas filhas, o que vai contar sobre o Japão?

– Que as pessoas têm olhinhos puxados e eu entendi bem pouco o que falaram. (risos) Também vou dizer que o japonês é um povo que aprendeu a cair e a se levantar várias vezes, que enfrenta as situações de caos sempre com serenidade e que tem uma consciência de cidadania fantástica. Eles costumam usar máscaras quando estão gripados, para não contaminar os outros. Isso é o máximo!

– E sua família é tecnológica?

– Temos 17 televisões em casa. Adoro novidades. As minhas filhas  já baixam aplicativos de tablets. Clara entra em sites para brincar. É impressionante como a nova geração tem uma capacidade maior de interagir com a tecnologia do que a gente.

– E que valores passa a elas?

– Ter um bom relacionamento com as pessoas, disciplina, saber conviver com o 'não', com a frustração, honrar a família e sorrir.

– O bom humor é uma marca da sua carreira, que completa 30 anos. Você já fez novela, lançou disco... Sente-se realizado?

– Tenho também um lado acadêmico que poucos conhecem. Sou formado pela Escola de Comunicações e Artes da USP em Rádio e TV. Tudo o que imaginei estou conseguindo transformar em realidade. Não tenho coragem de pedir nada, só de agradecer. Mas, é claro, com uma parceria como esta, automaticamente você começa a projetar outros sonhos, porque ela abre as portas do mundo, faz você ganhar novos horizontes, ter o seu trabalho visto no exterior. Busco agora exatamente isso: que as pessoas, não só no Japão, mas em outros países, conheçam mais o meu trabalho.

– Pensa em voltar a atuar?

– Só se for em participações especiais. Mas é difícil conciliar. Meu foco é realmente a apresentação, quero aprender mais e crescer como comunicador.

– O que o deixa estressado?

– A única coisa que me tira o bom humor é sentir fome. Se eu estiver comendo, estou feliz.

– E como mantém a forma?

– Com a correria de trabalho do dia a dia. Como bem e não engordo. Há muitos anos, mantenho 79,5 kg e 80 kg em 1,84m. A academia de casa quem usa é a Vera.

– Além de comer, você também gosta de cozinhar?

– Faço uma macarronada maravilhosa, aos domingos, que todo mundo adora. E é só.

--

VEJA A ÁREA DE VÍDEOS DESSA PÁGINA

0 comentários:

Postar um comentário

Comente e participe do blog.