26 de abril de 2010

Trabalho para me igualar a apresentadores como Gugu e Faustão

| | Bla bla bla





Depois de ser destaque na TV em 2009, Rodrigo Faro começou 2010 com o pé direito. Em março, foi escolhido melhor apresentador no Troféu Imprensa, promovido pelo SBT e que aponta os melhores da TV a partir do voto do público e de um júri de jornalistas. 

Mesmo com o prêmio e a boa audiência de seu programa O Melhor do Brasil, consolidado em segundo lugar nas tardes de sábado, com média de 11 pontos e pico de 16 neste mês, o apresentador afirma que ainda não chegou à sua melhor performance como comunicador e que tem muito à aprender. 

O R7 conversou com Faro em seu camarim na sede da Record, na Barra Funda, em São Paulo, no intervalo das gravações de O Melhor do Brasil. 

- Ganhar o Troféu Imprensa foi a maior emoção da minha vida. Vim chorando de Alphaville [bairro na Grande São Paulo onde mora] até a Record. Fiquei surpreso, porque nem sabia que estava concorrendo.Sempre quis ser reconhecido como apresentador e este prêmio é importante porque representa a escolha do público e da crítica. 

Faro apresenta o programa nas tardes de sábado da Record há apenas dois anos, quando foi convidado a substituir Márcio Garcia, que deixou a emissora da Barra Funda para retornar à Globo. Logo, conquistou o público com seu jeito despachado, ganhando visibilidade e reconhecimento. 

O R7 questionou o apresentador se ele não deseja agora um espaço na grade dominical da emissora. 

- Eu acho que tenho que ficar no sábado. Não é hora de pensar em domingo. Não é o momento, eu acho que preciso ter mais horas de vôo, preciso crescer como comunicador e aumentar meu público. Não posso deixar o meu público órfão. 


Um dos trunfos de Faro é a dancinha que faz ao fim de seu programa, no quadro Vai Dar Namoro. A ideia surgiu após a morte de Michael Jackson, como forma de homenagear o cantor. Deu tão certo que a dança caiu na boca do povo e virou chamariz de público. 

- No começo não tinha produção nem nada. Foi uma criação minha, uma brincadeira que virou uma bola de neve. 

Questionado se acredita já ter chegado ao nível de comunicadores como Gugu Liberato e Fausto Silva – Faro já disse que este é seu desejo –, ele mantém um discurso modesto, mesmo já tendo superado ambos os apresentadores no Troféu Imprensa. 

- Falta muito! Falta estrada, faltam horas de vôo, faltam muitas coisas. Eu tenho muito que aprender para querer me igualar a um Gugu, um Silvio Santos, um Faustão. Mas um dia chego lá, estou trabalhando para isso.

Fonte: R7

0 comentários:

Postar um comentário

Comente e participe do blog.