16 de março de 2010

Rodrigo Faro conquista o público com sequência de micos

| | Bla bla bla






Se Rodrigo Faro precisava de uma fórmula para cair de vez nas graças do público à frente de O Melhor do Brasil, na Record, ele a encontrou. Após assumir o posto deixado por Márcio Garcia, que fez suas malas e voltou para a dramaturgia da Globo, Faro teve a difícil tarefa de adaptar a atração à sua maneira. E conseguiu fazer isto muito rápido.

Com a morte de Michael Jackson -em junho de 2009-, um de seus ídolos desde sua infância, Rodrigo decidiu fazer uma homenagem ao rei do pop todas as vezes que alguém se beijasse no quadro Vai Dar Namoro. Autorizada pela diretora Rita Fonseca, a coreografia ocasional se tornou sucesso e, a pedido do público, tornou-se marca registrada e obrigatória no programa. "A partir daí começaram a chegar vários e-mails e cartas pedindo para eu dançar outras coisas", disse o apresentador ao Terra.

De lá para cá, Rodrigo Faro fez um tour pela cultura mundial e reviveu alguns ídolos imortalizados, como Carmen Miranda, Mamonas Assassinas, John Travolta no saudoso tempo de Os Embalos de Sábado À Noitee Village People. Mas, certamente, o maior sucesso ficou por conta da performance de Beyoncé, na qual o apresentador se vestiu como tal e arriscou alguns rebolados do hit Single Ladies. "Este vídeo já teve mais de 300 mil exibições no Youtube", comemorou.

Atualmente, O Melhor do Brasil registra audiência média de 14 pontos em São Paulo, com picos de 18, chegando a superar a grande concorrente Globo em alguns momentos. As performances divertidas de Rodrigo Faro são um dos pontos altos do programa, tido como uma das principais atrações da Record.

Veja abaixo a entrevista que Rodrigo Faro concedeu ao Terra:

Como surgiu a ideia de se fantasiar e pagar mico no quadro Vai Dar Namoro? 
A ideia surgiu com a morte do Michael Jackson. A gente estava gravando o programa e saiu em todas as televisões a notícia da morte, daí perguntei para minha diretora se eu podia fazer uma homenagem a ele. Então, veio a ideia de que se alguém desse um beijão no final eu faria a clássica dança do Michael Jackson. Quando era criança, eu tinha um grupinho de dança no qual a gente fazia as coreografias dele. Pedi à diretora e ela topou. A partir daí começaram a chegar vários e-mails e cartas pedindo para eu dançar outras coisas.

Algum casal se beijou propositalmente somente para ver você dançar? 
Vários. Tem caso de rapazes que falam para as meninas "vamos beijar para ver o Rodrigo dançar?". Alguns deles usam isso como pretexto para ficar com as garotas.

Para você, qual das suas performances foi a mais engraçada? 
A que teve mais repercussão foi a da Beyoncé. O vídeo no Youtube tem mais de 300 mil acessos e, realmente, acho que foi a mais engraçada. Teve a Carmen Miranda, balé clássico, rainha de bateria... Sempre que tem um "micão" desses o povo adora.

Você chegou a ensaiar antes de fazer a coreografia? 
Dez minutos antes vem a Paola, que coordena o balé do programa. Além disso, eu tenho facilidade porque eu fiz aulas de dança de salão por muito tempo. Os ensaios são feitos nos intervalos das gravações. No meu blog eu já recebi mais de 56 mil sugestões de danças.

Qual foi a sugestão mais inusitada? 
As pessoas pedem performances regionais, como grupos de forrós conhecidos no Nordeste e grupos de vanerão conhecidos na região Sul. Além disso, me pedem algumas danças típicas e eu vou começar a fazer isso em breve.

Alguns artistas que você imitou já viram sua performance? O que acharam? 
Já e foi muito legal (risos). Sempre que eu faço a performance de algum artista dá muita repercussão. Vou imitar o Latino, Alexandre Pires, Ivete Sangalo... O Falcão adorou quando eu o imitei. O Tiririca foi o que mais gostou até hoje. Ele chegou a me falar que eu estava igualzinho a ele até nos trejeitos (risos). Outra que gostou muito da minha interpretação foi a Gretchen. Ela me fez uma surpresa. Eu estava dançando e ela entrou no palco. Foi sensacional.

Quem escolhe as personagens que você irá interpretar? Você, público, produção...? 
Todo mundo. Geralmente somos eu e a diretora. Vemos tudo o que vem no blog, sentamos para conversar e vemos as ordens das apresentações.

Teve vergonha de algum? 
Nunca. Se eu não tive vergonha no dia do balé clássico, que eu tive que colocar uma saia de tule, qualquer coisa se torna fácil.

Já recusou interpretar algum personagem? 
Nenhum, tanto que sábado agora eu vou fazer a Lacraia e ela estará no palco.

Qual você não faria de jeito nenhum? 
Nenhum em especial, porque eu gosto deste momento. É um momento em que eu me divirto, dou muita risada e faço questão de pagar este mico. Isso acabou criando uma proximidade com o público, com as crianças e com a família. Meu programa é feito para a família e eu não imaginava que isso teria a força que tem hoje. Tem crianças assistindo, idosos e até o público masculino. Quando é que um homem senta ao lado da mulher para ver na TV um programa de auditório? No meu blog tem muitos depoimentos de pais de família dizendo que nunca assistem a este tipo de atração, pois só querem saber de futebol e programas esportivos, mas acompanham 
O Melhor do Brasil porque os faço dar risada com as brincadeiras. Você ter este retorno é algo que não tem preço.

O que suas filhas dizem quando te veem caracterizados? 
Elas adoram. O dia do balé foi incrível porque minha filha Clara faz balé. Qual criança não gostaria de ver o pai dançando? (risos)

Na rua, o público te aborda pedindo para dançar? 
Não dá mais para sair na rua (risos). Quando as pessoas me veem começam a falar "dança gatinho". É incrível!

0 comentários:

Postar um comentário

Comente e participe do blog.